KTM BIKES BRASIL

ipi zero2 O trânsito nas grandes cidades brasileiras só piora a cada ano e muito se tem falado na necessidade de medidas para melhorar a nossa mobilidade urbana. Mesmo assim, os automóveis pagam menos impostos no Brasil do que as bicicletas, uma alternativa de transporte barata, saudável e não poluidora.

Segundo o IBGE, quase 1/3 daqueles que usam a bicicleta como meio de transporte no Brasil têm renda familiar de até R$ 600. São esses os brasileiros mais afetados pela alta tributação, que tolhe o acesso a um produto de maior qualidade e com valores mais justos, favorecendo a migração para outros meios de transporte, especialmente os motorizados.

Assim, a iniciativa Bicicleta para Todos, da qual a KTM Bikes faz parte, apóia a isenção do IPI para bicicletas, partes e peças. É uma medida urgente e necessária, tanto para fomento do mercado, quanto para que o valor final da bicicleta esteja mais ajustado ao bolso dos brasileiros.

Estudos indicam que zerando o IPI para bicicletas, que hoje é de 10%, o Brasil teria um aumento de 11,3% nas vendas desse veículos. Isto significa mais arrecadação para o governo federal (através de outros tributos já cobrados), mais gente pedalando e, principalmente, mais qualidade de vida em nossas cidades.

Hoje o Brasil é o 3º maior produtor de bicicletas no mundo, perdendo apenas para a China e para a Índia. É o 5º maior consumidor de bicicletas no mundo, representando uma fatia de 4,4% do mercado internacional. Mas, quando observamos o consumo per capita de bicicletas, o nosso país cai para a 22ª colocação, o que significa um mercado emergente e um potencial de crescimento enorme.

Com menos impostos, o uso da bike deve crescer no Brasil. E a qualidade de vida também!

IPI zero destaque

 

Topo da PáginaTopo da Página
Voltar para página principalVoltar para página principal